cabecalho.jpg
     Ipatinga,
menu.jpg
       .: Página Principal
       .: A Empresa
       .: Trabalhos Realizados
       .: Nossos Clientes
       .: Portfólio  
       .: Nossa Frota
       .: Localização
       .: Indique Nosso Site
       .: Fale Conosco

novidades_l.jpg
08/01/2015
Veja o que checar no carro antes de sair de casa
.............................................................
18/12/2014
O Passo A Passo Da Troca De Pneu
.............................................................
05/12/2014
Limpe o carro após passar em alagamento
.............................................................
27/11/2014
Carros com injeção direta de combustível poluem mais
.............................................................


Chupeta na Bateria

A chupeta consiste em utilizar a carga de uma bateria auxiliar para dar a partida em um carro que esteja com a bateria descarregada. O termo chupeta é utilizado porque uma bateria “chupa” a carga da outra. – Não é nada do que você estava pensando!

Quem entende um pouco de eletricidade sabe que a chupeta  é apenas uma ligação de duas baterias em paralelo, muito simples de se fazer.

Já um leigo pode transformar esta simples ligação em um incêndio de grandes proporções, vindo a destruir dois automóveis, como aconteceu na foto acima. Segundo comentários que circulam na internet, estes carros da imagem foram incendiados porque alguém inverteu a polaridade dos cabos na hora de fazer uma chupeta.

Chupeta com Segurança

É muito comum que motoristas ou até mesmo profissionais façam a chupeta conectando os cabos diretamente nas duas baterias, unindo positivo com positivo e negativo com negativo. Esta ligação realmente é muito simples de fazer e funciona, contudo oferece risco à segurança da pessoa, pois ela fica muito próxima da bateria, sem a possibilidade de se proteger de uma possível explosão.

Explosão?! – Sim, a bateria de um carro acumula gases e pode explodir quando está com problemas.

Considerando que uma bateria descarrega completamente quando está fora de suas condições normais de funcionamento, realizar uma chupeta para tentar recarregá-la é um procedimento de risco.

 

Sabendo dos riscos envolvidos em realizar uma chupeta, é possível adotar uma medida de segurança para minimizar os riscos de ferimentos durante o procedimento.

A imagem acima demonstra os passos que devem ser seguidos para fechar o circuito e realizar a famosa chupeta. Confira a sequência:

  1. Conecte uma das garras do cabo vermelho no pólo positivo (+) da bateria descarregada;
  2. Conecte a outra garra deste mesmo cabo vermelho no pólo positivo da bateria carregada;
  3. Conecte uma das garras do cabo preto no pólo negativo (-) da bateria carregada;
  4. Conecte a outra garra do cabo preto em uma parte metálica do motor do carro que está com a bateria descarregada. Quanto mais distante da bateria este cabo for conectado, mais segura a pessoa estará.

A grande diferença deste procedimento está na execução do passo 4, no qual a pessoa estará distante dabateria quando o circuito paralelo for fechado, reduzindo significativamente o risco de ferimento em caso de uma possível explosão causada pelo início da carga da bateria danificada.

Além da sequência de passos para conexão das baterias, também é importante ficar atento a alguns detalhes para evitar danos ou dificuldades durante a chupeta, sendo:

- As baterias possuem indicação sinal de (+) e (-) junto aos pólos positivo e negativo. Se você é leigo procure esta indicação nas duas baterias e somente realize a conexão quando estiver certo sobre a polaridade de cada conector. Lembre-se de que a inversão de polaridade é o pior de todos os erros e pode destruir os dois carros.

- Utilize cabos específicos para chupeta, não tente improvisar a ligação com fios destinados a tomadas residenciais ou alto-falantes automotivos. Fios muito finos podem sobreaquecer e iniciar um incêndio.

- Desligue o som e outros equipamentos eletrônicos que possam estar ligados nos dois carros;

- Verifique a chave das luzes do carro que está com a bateria descarregada, certificando-se de que elas estão desligadas;

- Depois que as baterias estiverem conectadas, dê a partida no carro que está com a bateria carregada e deixe-o funcionando por aproximadamente 5 minutos antes de dar partida no carro que está com a bateria descarregada. Assim a bateria receberá uma pequena carga antes da partida;

- Quando o carro com a bateria descarregada começar a funcionar, desligue os cabos da chupeta, evitando que qualquer diferença de potencial entre os alternadores dos carros venha a danificar algum componente dos mesmos.

Caso o motorista saiba que a bateria descarregou porque esqueceu algo ligado, como as luzes ou o som, basta rodar alguns quilômetros com o carro para efetuar a carga. Já nos casos em que não é possível identificar o motivo do descarregamento é recomendado procurar uma auto-elétrica para realizar o diagnóstico do veículo.

Não é comum ouvirmos falar sobre acidentes envolvendo baterias, então não há motivos para que os leitores passem a temer a abertura do capô ou qualquer outro contato com os acumuladores de energia. Basta ter em mente que é necessário ter alguns cuidados ao realizar a famosa chupeta.

FONTE: Guru das Máquinas


  
rodape.jpg